Como integrar a sala com a varanda e criar um ambiente ampliado

Aquele clique ou estalo vindo do motor de vez em quando pode não ser tão inocente quanto parece. Cuidar do motor do carro com manutenções preventivas ajuda a estender a vida útil do veículo.

Você já deve ter notado que os apartamentos parecem ter encolhido nos últimos anos: os que são vendidos como novos nas grandes cidades estão cada vez menores! Para resolver esse problema, os truques de ampliação de espaço são o caminho mais certeiro e, entre eles, um dos mais usados é a integração da sala com a varanda. Nunca pensou nisso? Então dá uma olhada que a gente te explica como fazer.

O primeiro passo é decidir para qual finalidade a área vai ser usada

A primeira ideia que vem à nossa cabeça quando pensamos nessa integração é que vamos ter uma sala maior, mas às vezes não é só isso. Você pode, sim, fazer desse espaço apenas uma continuação da sala de estar cheia de luz natural, mas também dá para contar com a impressão de espaço maior dando uma função diferente para a varanda ao mesmo tempo.

O que mais está em alta é montar uma varanda gourmet, colocando uma churrasqueira e mesa com cadeiras para receber os amigos. Nesse caso a gente pode até derrubar as paredes que separam a sala da varanda, mas, por causa da fumaça, ainda pode ser necessária uma separação dos ambientes através de uma porta de vidro (assunto que a gente vai falar mais para frente). Outra função que esse espaço pode ter é a de ser um ambiente de descanso: muitas plantas, alguns futons e a luz natural do sol têm potencial para fazer desse o seu lugar preferido na casa toda.

Sala e varanda precisam conversar entre si

Depois de decidir qual função a varanda integrada vai ganhar, a gente precisa ter em mente que aquele ambiente tem que conversar com o restante da sala. Isso quer dizer pensar em usar um mesmo piso ou, pelo menos, um parecido para dar a impressão de continuidade. E ainda vai além: os móveis têm que ter o mesmo estilo e as cores usadas na varanda precisam acompanhar as da sala de estar – assim vai rolar aquela dúvida de onde começa um cômodo e termina outro, que é exatamente o que queremos aqui. Uma dica boa é esquecer que são dois espaços diferentes, senão a gente acaba separando um bloco de móveis na varanda e outro na sala, deixando evidente a separação.

Executar essa integração também exige algumas alterações estruturais mais trabalhosas

Para acontecer a integração de sala e varanda, algumas alterações estruturais serão necessárias. A primeira delas é a de derrubar as paredes que separam um cômodo do outro, algo que, quem gosta de ganhar espaço dentro de casa, já está mais do que acostumado a fazer. Só que aí entra a questão de isolar o ambiente externo para que o vento e as chuvas não estraguem o mobiliário interno. O que a maioria das pessoas faz é o envidraçamento de sacada – lembrando que precisa ser um material resistente o suficiente para aguentar as ventanias e completamente vedado para não passar umidade. Nesse caso também rola uma preocupação com a atuação do sol dentro de casa: se o vidro não for o correto e se não houver persianas instaladas para os dias em que a claridade é demais, a mudança pode criar uma espécie de estufa bem incômoda na sala.
Outra possibilidade é o que a gente falou lá em cima: manter a sacada ao ar livre, mas, ao invés de ter paredes separando sala de varanda, instalar uma porta de vidro de correr – isso vai permitir a visualização completa da parte externa e vai dar essa mesma sensação de amplitude. Nos dois casos o nivelamento do chão precisa ser uma preocupação para que a separação dos dois cômodos não fique óbvia. Depois que essas alterações forem feitas e a decoração estiver integrada, vai ser possível ver um apartamento novo surgindo bem diante dos seus olhos.

Fonte: Blog Leroy Merlin
https://www.leroymerlin.com.br/dicas/